Confusões

Meu Baú de Versos Tortos

No universo das minhas confusões

Encontro-me mais uma vez sem rumo

E nem com aqueles que costumavam me dar refúgio

Posso contar

As palavras presas na garganta

Que se recusam a sair, seja como poesia ou grito

Delas dependo e só delas…

O último barco partiu rumo a lugar nenhum

E perdi a minha única chance de me esconder

Sem abrigo me vejo

Em meio à tempestade que jamais poderei controlar

 

E fico me culpando

Pelas coisas que não tenho o poder de fazer

Espero impaciente, por mudanças e respostas que não dependem de mim

E que podem me machucar

Tormentos vêm e vão

E eu nunca aprenderei a lidar com eles

Jamais me acostumarei

Ao que a vida impõe a todos…

Que este período de mudanças me faça forte

Sem me afogar em minhas próprias lágrimas

Que minha visão se mantenha plena

E que…

View original post 30 more words

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s